Home / ATUALIDADES / Erasto, o companheiro de Paulo

Erasto, o companheiro de Paulo

Erasto é mencionado na Bíblia Sagrada como sendo um cidadão importante da cidade de Corinto, ele era o “tesoureiro” ou “administrador da cidade”.

Erasto, se tornou o companheiro de Paulo, assim chamado pelo povo em razão de sua proximidade com o Apóstolo dos Gentios, foi um dos primeiros seguidores e divulgador convicto da mensagem de Jesus Cristo.
Isso aconteceu numa época inicial em que os caminhos da fé cristã precisavam ser abertos e os primeiros pergaminhos da Boa Nova ainda deveriam ser escritos para divulgação do Cristianismo nos vários cantos da Terra.
Erasto conheceu o Evangelho num tempo que isso era uma grande novidade, um cidadão importante é convertido no meio de loucos, isso mesmo, “loucos” eles eram chamados – sim, os cristãos daquela época, perseguidos e maltratados, por acreditarem em Cristo.
Saúda-vos Gaio, meu hospedeiro, e de toda a igreja. Saúda-vos Erasto, procurador da cidade, e também o irmão Quarto (Romanos 16:23).
Erasto e Gaio moravam em  Corinto, importante colônia romana no coração da Grécia, cidade mais requintada depois de Atenas, centro cosmopolita.
Erasto trabalhou na administração pública da cidade.Erasto foi nomeado edil, isto quer dizer, alguém responsável pelos edifícios públicos.
Como um homem de status social elevado se junta no meio do bando de loucos?
Embora alguns membros da cidade Corinto tivessem posição social importante, as palavras do apóstolo Paulo em relação a eles são claras: a maioria deles era gente comum, de coração simples, que aceitaram  a mensagem das boas novas do evangelho sem duvidar da sua fé.
Erasto ouviu a pregação do evangelho e se converteu a Cristo, isto prova que muitas pessoas de diferentes classes sociais estavam sendo evangelizadas e aceitaram de boa a pregação do apóstolo em tempos difíceis de intensa perseguição no início do surgimento do Cristianismo.
Porque a loucura de Deus é mais sábia do que os homens; e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. Porque, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos, nem muitos os nobres que são chamados. Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; (1 Coríntios 1:25-27).
Viver para as coisas de Deus parece que é viver de cabeça para baixo.
Entre aqueles que ouviram a leitura das palavras de Paulo nas igrejas do lar, naquela época não havia templos ainda, e todos se reuniam no mesmo lugar, entre eles estavam artesãos, donas de casa, crianças e escravos, ocupando os degraus inferiores da escala social. Para esses, as palavras de Paulo devem ter levado consolo e esperança.
Muitos eram ignorados por um mundo acostumado à posição social elevada e à boa situação financeira. Mas Deus os escolhera especialmente para dar caminho a Sua causa.
rasto era nobre, mas estava infiltrado no meio do povo de Deus, no meio dos pobres e perseguidos, muita gente naquela época ouvia o evangelho que era novidade, muitos se convertiam…
E, saindo dali, Paulo entrou em casa de um homem chamado chamado Justo, que servia a Deus, e cuja casa estava junto da sinagoga. E Crispo, principal da sinagoga, creu no Senhor com toda a sua casa; e muitos dos coríntios, ouvindo-o, creram e foram batizados. (Atos 18:7-8).
Loucos, fracos, humildes, nobres, sábios, poderosos eram os não-muitos cristãos corintios chamados por Deus para fazer parte  dos Seus planos.
Nos meandros da influência política, Erasto colocou o ilustre Gálio outro amigo de Paulo, a par da religiosidade cristã, que naquela época habitava Corinto exercendo a profissão de tecelão e fundava na cidade uma controvertida igreja.
Dos primeiros cristãos da Antigüidade, Erasto foi o mais abastado em bens materiais e o que ocupou função pública de relevada importância sob ordens romanas.
Ali em Corinto, Paulo reunia os discípulos, ensinava a palavra do Cristo e fazia prodígios. A expulsão de espíritos maus e a cura de doenças fizeram de Paulo a figura religiosa mais discutida da época.
A passagem de Erasto pela antiga cidade de Corinto, foi confirmada por arqueólogos da Escola Americana de Estudos Clássicos de Atenas, em 1929 e 1947, quando, ao ser escavado um caminho datado do primeiro século da Era Cristã, foram encontrados nele uma praça e um bloco de pedra calcária contendo a seguinte inscrição: Erasto, Comissão de Obras Públicas…
[product_category per_page=”4″ columns=”4″ orderby=”” order=”” category=”capacitacao-eclesiastica”]

About Gamaliel

Check Also

Militantes LGBTs vandalizam igrejas e pedem que cristãos sejam crucificados, na Austrália

Militantes LGBTs vandalizam igrejas e pedem que cristãos sejam crucificados, na Austrália Várias igrejas na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: